Infracommerce

Infracommerce
B3

Inteligência artificial para grandes empresas

Inteligência artificial para grandes empresas

Neste artigo, falaremos um pouco mais sobre a importância da inteligência artificial nas grandes empresas. Continue lendo para saber mais sobre o tema!

A inteligência artificial (IA) terá um impacto maior na humanidade do que a própria internet. Essa é a previsão do TOTVS Labs, laboratório internacional de pesquisas. Esses efeitos já são evidentes quando encontramos atendentes virtuais, carros autônomos, drones entregando produtos e até robôs realizando diagnósticos médicos.

De acordo com uma pesquisa da Universidade de Stanford, até 2030, todas as nossas vidas diárias serão transformadas pela inteligência artificial, desde a forma como vamos trabalhar até a forma como cuidamos da nossa saúde. O relatório AI and Living 2030 prevê como as tecnologias inteligentes impactarão na saúde, segurança, entretenimento, educação e transporte, entre outros.

Inteligência Artificial: que caminho estamos tomando

Basicamente, a IA pode ser conceituada como um conjunto de tecnologias que permitem que as máquinas repliquem certos tipos de recursos humanos, como: a capacidade de ouvir, ver, falar, mover, raciocinar, agir e prever, principalmente aprendendo com experiências passadas.

Como resultado, hoje a inteligência virtual é usada em mensagens de texto, pesquisa, comércio eletrônico, redes sociais, indústria, saúde, finanças e vários outros campos. Às vezes entendemos que essa tecnologia já está presente – como carros autônomos –, mas em outros casos funciona nos bastidores em aplicativos e outras ferramentas.

O investimento em inteligência artificial continua a aumentar substancialmente. A combinação de inovação, experiência e investimento significa que a IA está pronta para ganhar um forte impulso dentro das empresas.

Formas de utilizar a Inteligência Artificial

Embora a inteligência artificial permita que as máquinas repliquem o comportamento humano, deve-se lembrar como elas diferem dos humanos. Por um lado, eles destacam problemas como computação e correspondência de padrões, mas carecem de atributos intrinsecamente humanos, como sentimentos, valores e contexto.

Para reuni-los, devemos “treiná-los” para reconhecer objetos, palavras e sentimentos, e compreender algumas das características do ser humano. Enquanto alguns futuristas acreditam que as máquinas vão superar as capacidades humanas, a questão atual é mais pragmática:

  • Como utilizaremos a IA?
  • Em que situações é bom e em quais não é?
  • Onde estão as verdadeiras oportunidades?
  • Como isso afetará clientes, funcionários e acionistas?

Estudo de caso de Inteligência Empresarial

Em um estudo de caso da pesquisa AI in the Enterprise: Real Strategy for Artificial Intelligence de junho de 2018, a plataforma de pagamentos online Stripe tem a missão de prevenir fraudes e melhorar a experiência do cliente.

Basicamente, o Stripe foi projetado para tornar a economia mais acessível às pessoas. A ideia segue a linha do Google Adwords, que possibilita que qualquer empresa comece a anunciar.

Um dos principais desafios nesse contexto foi reduzir as fraudes com a ajuda de máquinas, que ajudam as pessoas a tomar decisões automatizadas com base em bilhões de dados provenientes de plataformas. Para fazer isso, os algoritmos do Stripe consideraram metadados sobre a empresa e suas transações.

Os maiores desafios para aplicar IA nas empresas

Fica claro ao longo deste artigo que existem vários desafios para a aplicação da inteligência artificial ​​nas organizações – a maioria dos quais são estruturais. No mínimo, vale lembrar que a IA é aprendizado de máquina, não uma solução pronta para uso. Adotá-lo em sua organização requer recursos e conjuntos de habilidades específicos, como veremos a seguir:

A lacuna dos talentos em inteligência artificial

Um dos primeiros desafios que as organizações enfrentam é encontrar talentos. Você precisa de uma equipe com as habilidades técnicas necessárias para treinar sistemas de inteligência artificial, como usar dados de marketing para otimizar campanhas ou aproveitar dados de suporte ao cliente para automatizar o feedback. Esse tipo de treinamento exige habilidades muito específicas e, infelizmente, o mercado ainda é escasso.

A criação da cultura de inteligência artificial nas empresas

Embora o recrutamento de talentos seja um grande desafio, pode ser mais fácil trazer a inteligência artificial para o seu negócio. No entanto, como mencionado anteriormente, a organização pode se deparar com problemas estruturais, como o suporte à P&D (pesquisa e desenvolvimento) que adota a IA em um ambiente corporativo real.

A maioria das escolhas das empresas de TI são sobre o software ou hardware que você deseja usar, conectar e deixá-los fazer o que quiser. O problema com a IA é que ela requer muito treinamento, pelo menos inicialmente, e processamento de dados para entregar os resultados desejados.

Nesse sentido, é preciso investir fortemente em P&D, o que não é algo que a maioria das empresas possa fazer. Afinal, eles nunca precisaram fazer algo assim para fazer a tecnologia funcionar. Em outras palavras, existem custos, e a maioria das organizações não está preparada para absorver esses custos.

Aderir ou esperar?

Com tantos impasses, fica a pergunta: devo adotar a inteligência artificial na minha empresa? De um modo geral, existem cinco tipos de consumidores: inovadores, adotantes iniciais, maioria inicial, maioria tardia e retardatários..

Como regra geral, a maioria dos gerentes evitará ser inovador (dada a incerteza, talento e custo) ou retardatário (onde o resto do setor aproveitou o ROI da IA).

A inovação requer muitos recursos, e empresas valiosas como Facebook, Google e Microsoft estão nessa equipe, fazendo pesquisas sobre IA para aprendizado profundo.

Como é difícil entrar nesse grupo exclusivo, para a maioria das empresas, o melhor caminho será o meio termo. Portanto, os gerentes devem se concentrar em estudos de caso reais e suas aplicações. Quando existem empresas que realmente se beneficiam da IA, pode valer a pena investir e explorar.

Futuro da inteligência artificial

inteligência artificial tornou-se uma realidade. No entanto, ainda há muito trabalho a ser feito nesta área. Por exemplo, as discussões como parte do campo incluem questões éticas.

É necessário considerar os riscos da inteligência artificial, pois ela afeta vários setores da economia e pode comprometer a privacidade dos dados pessoais e comportamentais usados ​​para treinar a inteligência. É preciso entender que a inteligência artificial nunca estará completamente separada do comportamento humano, para implementar boas práticas e facilitar a discussão sobre o tema.

Para o futuro, também é possível apontar para a normalização da inteligência artificial. É cada vez menos uma tendência e uma parte da vida cotidiana. Hoje, não há indústria que não use tecnologia.

Além disso, a inteligência artificial deve desempenhar um papel cada vez maior no gerenciamento e análise de dados, tornando os bancos de dados de enorme valor estratégico. Com dados suficientes e de alta qualidade, análises preditivas e prescritivas, não apenas descritivas, podem ajudar a resolver problemas.

Gostou deste artigo? Continue nos acompanhando para ter acesso a mais conteúdos como este. Aproveite para acessar nossa plataforma para conhecer as soluções da Infracommerce!

Como criar site de vendas atrativo para clientes

Neste artigo, vamos te mostrar como criar site de vendas atraente pode ser a peça que faltava…

Você sabe o que é Pipeline de Vendas?

O pipeline de vendas é uma ferramenta com o objetivo de apoiar a equipe de vendas em…

Como funciona o dropshipping no Brasil?

Saiba sobre dropshipping se quer começar a vender online mas não tem capital? Ou talvez você não…

Quer fazer parte
do seleto grupo
de operações
de e-commerce eficientes e escaláveis?

Entregamos operações de e-commerce de acordo com as necessidades da sua empresa de forma completa ou modular.

Vamos conversar!

Conte-nos sobre seu negócio 

* campos obrigatórios.

Ao me cadastrar concordo em receber novidades sobre e-commerce, varejo e eventos relacionados à Infracommerce.