Entenda a diferença da venda virtual

Entenda a diferença da venda virtual

Desde 2016, apesar da crise econômica, o e-commerce no Brasil cresceu 11%, principalmente depois da pandemia. Os bons resultados fizeram com que mais vendedores desejassem integrar lojas físicas e virtuais para se beneficiar desse cenário positivo.

Porém, antes de abrir uma loja virtual do zero, é necessário estudar e entender as peculiaridades desse segmento de mercado, pois existem algumas diferenças de gestão entre as lojas físicas e virtuais.

Entenda as diferenças de gestão entre a loja física e venda virtual

Compreender os detalhes da gestão do e-commerce pode permitir que os profissionais comecem a trabalhar online com mais segurança e reduzam os riscos de investimento.

Para ajudar neste processo, escolhemos oito diferenças que devem ser consideradas antes de iniciar uma performance online.

1. Plataforma de venda virtual

A primeira diferença substancial é a plataforma de vendas. Embora eu trabalhe apenas em lojas físicas, as vendas podem ser feitas em casa, salões de beleza, etc. Na Internet, é necessário estudar quais plataformas existem e quais podem atender melhor às necessidades dos vendedores de hoje.

Algumas empresas fornecem plataformas de vendas de mercadorias específicas, como ter uma loja virtual, seu próprio site e assim por diante. Você também pode escolher mercados, que já são plataformas de vendas integradas.

O principal benefício é ter uma interface única para o gerenciamento de uma loja online. Desta forma, é possível passar de vendas amadoras pela Internet a atuações mais profissionais sem a necessidade de altos investimentos.

2. Cuidados com fraudes

Nas lojas físicas, a ocorrência de fraudes já é um problema, mas no ambiente digital os vendedores estão mais suscetíveis a essas situações, e mecanismos preventivos devem ser considerados.

Uma opção para evitar fraudes é usar um intermediário de pagamento. Dessa forma, os vendedores podem conter os problemas, pois a ferramenta garante o gerenciamento de riscos e fraudes e evita compras ilegais. Alguns exemplos de intermediários são Paypal, PagSeguro, Moip, etc.

3. Gestão do estoque

Ao iniciar as operações digitais sem garantir uma gestão de estoque eficaz, existe o risco de venda virtual de produtos fora de estoque, prejudicando o relacionamento com os clientes por atraso ou não cumprimento entrega.

A melhor opção é utilizar uma plataforma de vendas que permita o controle automático de estoque, a própria ferramenta calcula as mercadorias, as vendas e atualiza os dados em tempo real para evitar perdas de vendas.

4. Relacionamento com o cliente

Em uma loja física, o relacionamento com o cliente ocorre de forma próxima. Quando a venda virtual é concluída, o processo termina. Porém, na Internet, existem etapas de pós-venda de entrega, monitoramento e, em muitos casos, avaliação do cliente.

Portanto, ao abrir uma loja virtual, é necessário levar em consideração a estratégia de relacionamento com o cliente, a forma como os consumidores se comunicam antes e depois da venda e como os clientes podem manter contato com a marca.

No e-commerce, a opção de manter uma página de contato e facilitar o contato com o cliente quando necessário é sempre essencial para melhorar a experiência do usuário.

5. Controle do fluxo de caixa

Ao contrário das lojas físicas que permitem o acesso diário aos caixas, o dinheiro no e-commerce está "na ponta dos dedos", por isso não necessita haver um controle rígido do caixa.

Saber o valor das contas diárias da empresa, possíveis despesas e investimentos e quanto dinheiro a empresa tem é uma informação essencial.

Devido à variedade de formas de pagamento, é necessário integrar informações para possibilitar o controle de caixa por meio de uma única plataforma ou ferramenta.

6. Formas de pagamento

Conforme mencionado acima, as lojas online exigem que os vendedores entendam os diferentes métodos de pagamento e invistam em seus tipos de venda virtual. Os métodos de pagamento mais comuns incluem:

- Cartão de crédito e débito;

- Boletos bancários;

- Intermediadores;

- Virtual wallets.

A limitação dos meios de pagamento disponíveis pode se tornar um problema real para o e-commerce e reduzir as vendas. Pela possibilidade de comparar mídias digitais ao mesmo tempo, o consumidor vai optar por lojas que lhe ofereçam meios de pagamento mais seguros e fáceis, além de preços mais atrativos.

7. Estratégias para atração de clientes

Para atrair mais clientes para participarem do e-commerce, é importante considerar a forma digital de publicidade. No caso da Internet, uma variedade de estratégias de marketing digital pode ser adotada.

Se o orçamento da marca ainda é limitado, você pode escolher opções mais econômicas, como criar uma página da marca em uma rede social ou lançar uma estratégia de link patrocinado.

Independentemente da forma de divulgação, a competição acirrada na Internet torna necessária uma ação para atrair os consumidores.

8. Exposição das mercadorias

Nas lojas físicas, a distância entre os consumidores e os produtos permite que eles experimentem, toquem e avaliem os produtos, enquanto na Internet os vendedores são responsáveis ​​por mostrar os produtos aos clientes.

Recomenda-se investir em fotos de alta qualidade do produto, prestar atenção em diferentes ângulos, para que o consumidor tenha uma experiência satisfatória do produto, e depois comprar através da venda virtual. Fotos de baixa qualidade tiradas de apenas um ângulo desvalorizam o produto e despertam desinteresse por parte dos clientes.

Além dos aspectos visuais do produto, também é necessário criar descrições do produto com o máximo de detalhes possível, como informações técnicas, formas de uso, conteúdo de compra, etc. Outros dados importantes incluem: cores disponíveis, tamanhos (principalmente roupas e sapatos), garantia do produto, etc.

Quando iniciar um e-commerce para venda virtual?

Embora o gerenciamento de uma loja virtual possa parecer muito complicado, ele permite a automação de vários processos, o que nem sempre é viável em uma loja física.

Existem diferenças, mas através da pesquisa e compreensão das particularidades de cada segmento de mercado, os riscos dos investimentos podem ser reduzidos e a independência profissional pode ser garantida, atuando de forma estável e consistente na Internet.

Se você tem experiência em varejo e quer começar a trabalhar com e-commerce, estudar e entender os detalhes específicos e as diferenças de gerenciamento de lojas físicas e virtuais é o primeiro passo para o sucesso neste negócio.

Você gosta deste conteúdo e acredita que será útil para mais pessoas interessadas neste tópico? Compartilhe nas suas redes sociais e interaja com outros vendedores que queiram atuar no e-commerce!

Acesse nossa plataforma e conheça as soluções da Infracommerce para venda virtual!

Fale com um especialista

Leia também

Pix para e-commerce: saiba como isso pode alavancar suas vendas

Pix para e-commerce: saiba como isso pode alavancar suas vendas

Se você não conhece o impacto do Pix para e-commerce e como ele pode ser um aliado para o seu negócio, fique atento às nossas últimas atualizações!

Acessar
4 Funcionalidades para aumentar o lucro com as vendas b2b

4 Funcionalidades para aumentar o lucro com as vendas b2b

As vendas B2B são uma realidade cada vez mais presente na rotina dos empresários, junto à muitas responsabilidades. Continue a leitura e saiba mais sobre o tema!

Acessar
Faça um split de pagamento customizado para cada negócio com InfraPay

Faça um split de pagamento customizado para cada negócio com InfraPay

Entenda o que é split de pagamento, veja como usar e para quem é indicado. Além disso, falaremos um pouco sobre os benefícios da InfraPay como solução de pagamento.

Acessar

Assuntos

Revolucione sua
Customer Experience!


Descubra qual solução Infracommerce é a ideal para o sucesso do seu negócio.

Preencha o formulário abaixo que nossa equipe
entrará em contato para mais informações

Obrigado! Seu contato foi enviado com sucesso!
Oops! Algo deu errado, tente novamente.