Infracommerce na Revista Fecomércio

Ano de crise no Brasil pode ser sinônimo de muitas oportunidades no mercado exterior. Segundo a publicação da Revista Fecomércio, o mantra para o País ganhar vantagem neste cenário turbulento em que vivemos é a exportação. Afinal, se o mercado está ruim aqui, por que não vender para os estrangeiros?

Segundo o presidente do Conselho de Comercio Eletrônico da Fecomércio SP, Pedro Guasti, facilitar a operação para o comprador externo é um dos principais requisitos para se vender para fora, seja em B2B ou B2C.  Os sistemas de pagamento devem ser aceitos no mundo todo, por exemplo. Outra recomendação é estar bem posicionado nas buscas do Google.

A entrega das mercadorias pode ser realizada via Correios ou pelo serviço Exporta Fácil. Muitas pessoas acham que terão muita burocracia e custos elevados e acabam perdendo vendas quando na verdade, a maioria não terá dificuldade alguma em embarcar mercadorias numa operação ponto a ponto.

De acordo com Emmanuel Guinet, diretor-comercial da Infracommerce, as adaptações em plataformas mais robustas facilitarão a logística para o vendedor. “ Por exemplo, eliminar o campo do CPF no carrinho de compras ou formatar de modo que ele seja obrigatório só para brasileiros. Outro ajuste deve ser no espaço de endereços para facilitar a integração de CEPs de outros países e com menos dígitos que o nosso (com oito espaços).

A infracommerce tem seis clientes dos segmentos de moda, calçados e telefonia se preparando para vender no exterior.

A matéria ainda ilustra cases de sucesso e outras opiniões de mercado.

Leia mais: https://issuu.com/fecomercio/docs/c_s_43_simples